“A tua primeira preocupação dever ser a tua santificação”

O chamado de Deus na vida de ClaudiaLouvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo,

Para sempre seja louvado!

Com alegria venho hoje falar um pouco sobre o meu chamado a viver como leiga consagrada na pertença de Aliança. Onde o Senhor me fez um convite tão especial e pessoal. Sim! É um chamado particular, não por sermos melhores, nem piores. Mas, por amor incondicional de Deus, Ele olhou para mim e com este olhar cheio de misericórdia, me chamou. Livremente eu disse SIM, com todos os desafios que este chamado portaria.

Ao me chamar à esta família, também o Senhor deu ferramentas que me possibilitam viver este chamado. Diariamente vivendo o que o dia apresenta, buscando o sagrado do cotidiano, as oportunidades de viver as virtudes que me faltam. Como disse São Maximiliano Kolbe:

“A tua primeira preocupação dever ser a tua santificação”.

E para nós, Filhos da Cruz, conscientes da fragilidade humana frente ao pecado, facilidade em tombarmos, munimo-nos com a oração, arma essencial nesse combate em busca da santidade.

Muitas vezes a vivência do meu chamado não passa por acontecimentos extraordinários, grandiosos… mas na simplicidade do desdobramento das minhas missões de mãe, esposa, filha, irmã, tia, dinda, professora, amiga, católica atuante. Sim!

A minha resposta a este chamado se dá na resposta as minhas missões. É ali que testemunho com meu jeito de ser que é o céu que eu anseio e que também não o quero somente para mim. De jeito nenhum! Testemunhar com alegria que nas contrariedades, nas doenças, nos sofrimentos, há um Deus sim, o verdadeiro, que é o Caminho, a Verdade e a Vida, que cuida de nós. O Senhor dá e é sentido do nosso viver!

Um dia, Deus olhou para mim… e este olhar me conquistou.

Eu sou de uma família católica atuante na Igreja. Participei de grupo de jovens, fui catequista… Sempre compreendi que Deus conta conosco. E que nossa Igreja sendo rica em pastorais, cada membro deveria encaixar-se em alguma e dar de volta a Deus, aquilo que gratuitamente Deus nos dá: os dons. Os dons não pertencem a nós mesmos. São um empréstimo recebido do Alto para nos ajudar na evangelização daqueles que estão distantes de Deus. Se faz necessário gastar-se pelo Reino!

Somos muitas vezes o rosto de Deus onde nos encontramos. Deus tem sede de almas… e sim!

Como cristã e católica não posso ficar indiferente e “enterrar meus dons”, ou a deixar que mais pessoas sejam evangelizadas. Não sou da Igreja somente quando estou dentro dela, pelo contrário, me abasteço quando lá estou e SOU IGREJA no meu dia a dia, cumprindo minhas obrigações e missões cotidianas. Um dia o Senhor me olhou… e sei que Ele olha para você também… talvez te chamando a algo mais… você já pensou nisso?

E Deus mais uma vez olhou para mim… Me chamou para uma vida de consagração… não por ser melhor, nem a pior. Mas por me querer santa e sabendo da minha fragilidade e limitações, me deu esta via de luta, que me enche de alegria e me encoraja! A força deste carisma me sustenta e me conduz. E peço, todos os dias, a fidelidade a este chamado de amor. Ele que me olhou… amou e chamou.

Claudia Pokorski

Consagrada Pertença de Aliança

deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.